A+ A-

As instituições do ensino superior de Macau reiniciam sucessivamente as aulas a partir de 1 de Abril

  Após conversações entre a Direcção dos Serviços do Ensino Superior e as instituições do ensino superior de Macau, no pressuposto de garantir a saúde e a segurança da vida dos estudantes, docentes e trabalhadores e considerando de forma integral os vários factores envolvidos, as instituições do ensino superior de Macau reiniciam, sucessivamente, algumas das actividades pedagógicas a partir de 1 de Abril, a fim de reduzir o impacto da pandemia nos estudos dos estudantes.

Seis instituições do ensino superior reiniciam as aulas na primeira fase

        Durante o período da pandemia da infecção pelo novo tipo de coronavírus, a DSES tem mantido, constantemente, o contacto e a comunicação estreitos com as instituições do ensino superior e os serviços públicos de Macau. Além disso, face à evolução da pandemia, tem procedido, oportunamente, à revisão das medidas de resposta, efectuando, de forma activa, os diversos trabalhos preparatórios para o reinício das aulas das instituições do ensino superior.

        Após discussões entre a DSES e as instituições do ensino superior, tendo em conta que o mais importante, na fase actual, é assegurar a saúde e a segurança da vida dos docentes e estudantes, assim como garantir que os finalistas possam concluir os seus estudos dentro do prazo previsto, e, ainda, prestar atenção aos estudantes cujos estudos têm requisitos profissionais, que devem completar as horas de estágio suficientes, as instituições do ensino superior esperam que as aulas possam ser reiniciadas o mais rapidamente possível. Assim, considerando todos os aspectos em causa poderão reiniciar as aulas, sucessivamente, a partir de 1 de Abril, as instituições que ministrem:

1. Cursos com finalistas;

2. Actividades pedagógicas destinadas, principalmente, aos estudantes locais;

3. Disciplinas e avaliações que devem ser realizadas presencialmente, tais como aulas de experimentação, estágios, apresentação de relatórios e defesa de dissertações, entre outras.

  Deste modo, as seguintes seis instituições do ensino superior planearam reiniciar, sucessivamente, parte das actividades pedagógicas a partir de 1 de Abril: o Instituto Politécnico de Macau, o Instituto de Formação Turística de Macau, a Escola Superior das Forças de Segurança de Macau, a Universidade de São José, o Instituto de Enfermagem Kiang Wu de Macau e o Instituto de Gestão de Macau. É de salientar que, em relação à data concreta do reinício das aulas, as referidas instituições irão, consoante a sua situação concreta, informar previamente os seus docentes e estudantes quais os cursos que estão previstos reiniciar, aconselhando-os a estarem atentos, com paciência, às respectivas informações.

  Quanto aos planos para reinício das aulas das outras instituições e outros estudantes do ensino superior, as instituições estão a analisar, empenhadamente, a sua situação e a acompanhar a evolução da situação pandémica, para garantirem a segurança dos professores e estudantes e prepararem bem a respectiva data. No entanto, as respectivas disposições serão divulgadas ao público, com uma antecedência de, pelo menos, 14 dias para que os professores e estudantes tenham tempo suficiente para se prepararem. O Governo da RAEM reitera que irá estudar e avaliar, de forma contínua, a evolução da situação pandémica e, caso seja necessário, alterará os planos de reinício das aulas.

  Por outro lado, a DSES já definiu as orientações aplicáveis ao reinício das aulas das instituições do ensino superior de Macau, que incluem, entre outras, disposições preparatórias para o reinício das aulas, relativas ao ensino, aos equipamentos e às instalações, aos apoios aos estudantes, docentes e trabalhadores, e às demais actividades, que ocorram dentro e fora das instituições do ensino superior, tendo estas sido enviadas às instituições do ensino superior para a sua consulta. As instituições irão desenvolver os trabalhos de preparação do reinício das aulas e organizar o respectivo funcionamento, de acordo com as orientações da DSES e as orientações de prevenção epidemiológica divulgadas pelos serviços públicos pertencentes ao sector da Saúde, concretizando, em simultâneo, rigorosamente as respectivas medidas de precaução, preparando bem os trabalhos de prevenção e controlo.